Buscar
  • Fernando Braune

Ritos de passagem(memórias abertas de Charlotte)

XLV

Viver é questão de simplicidade. As situações, coisas e pessoas mais simples que encontrei na vida, foram as que mais me emocionaram.


No caminho pro trabalho há um mendigo e seu cachorro. Sempre juntos. Dia de rotina. Ida pro trabalho. Confusão. Táxi levando o mendigo pro hospital. Tentativas para evitar a ida do cachorro também. Na hora de sair, o cão pulou pela janela da frente e foi ao encontro do amigo no banco traseiro.


Aplausos! Foi-se o táxi com o inseparável casal. Que cena linda! Inesquecível! Ali o amor em toda sua plenitude! Amor sem concessão. Livre de qualquer interesse, só coração. O que um poderia oferecer ao outro a não ser um afeto incondicional?


Fui trabalhar com a alma lavada. Lembrei imediatamente de quando eu ia comprar pão de canoa e, quando menos esperava, via “açaí”, nosso cão, saltando feito um campeão pra dentro da canoa.


“Açaí” me ensinou o real significado do amor, relembrado pelo mendigo e seu fiel escudeiro. O amor verdadeiro!



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo